Banner topo
Madero inaugura novo restaurante no Shopping Iguatemi: o sexto no Distrito Federal

Junior Durski, o nome do chef. Um cara detalhista, incansável, que viajou o mundo atrás dos blends certos para fazer um hamburguer de qualidade. A quantidade certa de carne, para a qualidade, e um pouquinho de gordura, que dá a suculência. A Rede Madero inaugurou em Brasília a sexta Casa, no Shopping Iguatemi, no segundo piso. São dezoito estados brasileiros já com restaurantes Madero. 

O cardápio, de cara, já agrada você: "É muito bom ter você com a gente. Seja super bem-vindo à nossa casa. Se esta é a sua primeira vez no Madero, muito obrigado por nos dar a chance de mostrar a você quem somos, como pensamos e, principalmente, como gostamos de tratar as pessoas que nos escolhem."

Durski valoriza algo que eu sempre destaco, valorizar sua gente. Faz parcerias com diversos agricultores e produtores no Paraná, destacando internacionalmente o Estado. É assim com o palmito pupunha de entrada, é assim com a produção artesanal do pão distribuído pra rede, é assim com uma simples - e emblemática - bala de banana que acompanha o café do final da refeição.

A Bala de Banana Antonina é uma das empresas mais antigas e tradicionais do Paraná na produção de balas. O nome vem do município de Antonina, pequena cidade do litoral paranaense, a 50 km da capital Curitiba. Uma empresa familiar, que teve início com João Soter e seu filho José Carlos Corrêa. A família em busca de oportunidade de trabalho resolve homenagear as balas com o nome da cidade que os acolheu, e viram na banana um mercado. A embalagem e o papel da bala foram criados e desenhados pelo filho e são considerados a principal identidade da marca, lembradas pela população paranaense como "aquelas do papelzinho verde". Assim como Madero, uma empresa familiar. 

Outra que se destaca como fornecedor do Madero é a família Treitny, com uma lavoura de manejo sustentável em Morretes, litoral do Paraná. Lá são cultivados os palmitos pupunha que são servidos assados como entrada nos restaurantes da rede. As entradas têm preços para todos os tipos de bolso: desde os mini pastéis de carne (R$ 22, porção com seis), passando pelo palmito pupunha assado com flor de sal e manteiga (R$42), até Maderos Best Wings - asinhas (tulipa) de frango (R$ 29, com doze unidades). 

Um Happy Hour das 17hs às 20hs de Segunda à sexta-feira com preços muito atraentes. Os mini pastéis de carne, por exemplo, caem para R$ 18, perfeito para um chopp que passa a ter 50% de desconto no Happy Hour. 

Sanduíches Fit com pão integral, vegetarianos, vagenos e com menos sal também fazem parte do cardápio. como, por exemplo o Cheese Chicken Fit com peito de frango de 130 gr grelhado na churrasqueira, creme de palmito, queijo tipo cheddar low sódio, alface e tomate. Acompanhado de salada. (R$36).

Pratos que levam tilápia, frango, pratos com carnes nobres, parmegiana de lombinho, pratos de massas, como o Penne com Molho de Chef, onde vai 480 gr de filet mignon, molho de tomates frescos e parmesão (R$ 39). Os tradicionais hamburgueres como o Madero (R$ 39) - um hamburguer de 180 gr com pão crocante assado na hora, alface e tomates frescos, queijo tipo cheddar, maionese artesanal receita de família, carne grlhada em fogo forte, acompanhado de batatas fritas. Pra quem é viciado em bacon, como eu, o Madero Bacon Super - leva dois hambúrgueres de 180 gr cada e até de cordeiro, como o Cordeiro que leva um hamburguer de cordeiro de 180 gr. O cardápio é extenso e saboroso. É ler em detalhes e escolher o hambúrguer que você mais curta. 

Não vou entrar em todos os detalhes, porque como eu disse, o cardápio é bem extenso e possibilita todo tipo de bolso ter uma experiência incrível no Madero. No quesito carnes, o Bife de Chorizo - contrafilet de cerca de 350 gr sai por R$ 65, acompanhado de uma pequena salada, molho do chef, chimichurri e um acompanhamento.

Coquetéis (R$ entra 21 e R$ 26, com e sem álcool, Drinks (com preços de R$ 23), Chopp Amstel (R$ 11) e Heinekken (R$ 12), várias opções de Gin Tônica (R$ 29, cada uma), Caipirinhas, Caipirinhas na Caneca Congelada, Licor, extensa Carta de Vinhos... 

E as sobremesa, meu amigo, minha amiga? Petit Gateau de Doce de Leite, Brownie de Chocolate, Brigadeiro de Colher (R$ 22) - me babo todo comendo, Mini Mousse de Doce de Leite... Sorvetes artesanais, um capítulo à parte - a vó do chef tinha uma sorveteria em Ponta Grossa, no Paraná. Os sorvetes vem de receitas com ingredientes como a avó dele fazia, Dna. Isabel Ossowski. Novamente, o caderno de receitas de família ensinando como aproveitar melhor tudo que os ingredientes pode proporcionar. 

Tá em dúvida do que comer e ser bem atendido? Dá um pulo em uma das Casas do chef Junior Durski. 

Ahhhhhhh, como eu sempre destaco lugares que gosto do atendimento, a Rede Madero e também a Jeronimo, que faz parte do grupo, esta entre esses endereços. A conversa e o bom atendimento nessa segunda-feira (04) com muitos garçons, coordenadores de Salão e gerentes me mostraram isso. Principalmente por causa de uma frase de um dos garçons para mim:"- Desculpe-me interromper a agradável conversa, senhor, mas vejo que uma mesa ali está chamando". 

 

Detalhes da Rede Madero

www.restaurantemadero.com.br

 

 

 

 

 

 

 

 

8a Edição Wine Friday: mais de 250 rótulos de vinhos de 15 países

Os sócios Marcos Rachelle e Giuliana Ansiliero, da Rota do Vinho e Videira Vinhos Importadora, trazem a 8a Edição do Wine Friday agora em novembro. Serão mais de 250 rótulos de vinhos de pelo menos 15 países que atingem os mais variados paladares, desde leves Pinot Noirs até potentes Malbecs. Clássicos já consagrados da enologia mundial, como os presentes tintos do Piemonte, Toscana, Borgonha, passando por destaques dos produtores nacionais - o que defendo sempre, dê uma chance para o produto nacional - e ainda ícones do novo mundo e as novas tendências de mercado, como, por exemplo, orgânicos, biodinâmicos e veganos. 

Vamos para uma lista comprida, mas saborosa do fascinante mundo dos vinhos pelo mundo e que confirmaram presença para o próximo dia 29: pelo Chile - Laura Hartwig, Viña Odfjell e Undurraga. Representando a Argentina - Domaine Bousquet, Finca Sophenia, Altos Las Hormigas - uma das minhas preferidas, Andeluna Cellars e Bodega Atamisque. Com a força dos espanhóis: Bodegas Vivanco, Marqués de Murrieta e Bodegas Murviedro.

Portugal vem com rótulos das vinícolas: Quinta de Cabriz, Quinta das Arcas, Quinta do Penedo Gordo, Herdade do Rocim, Quinta Nova de Nossa Senhora do Carmo e Quinta da Pacheca. O Uruguai vem com a vinícola Bodegas Garzón. Da Itália: Banfi Zenato Azienda Vitivinicola, Argiano e Vini Farnese. Os elegantes vinhos franceses aparecem com Perrin et Fils, Domaine Laroche, Pierre Moncuit e Morin Pére et Fils. Algo diferente para sair dos eixos mundialmente conhecidos de vinhos: Israel com a vinícola Golan Heights, Marrocos com Domaine des Ouleb Thaleb Benslimane e, é claro, a África do Sul, que tem como símbolo a uva Pinotage com a vinícola L´Avenir. 

Como em ano anteriores, a Wine Friday vai oferecer buffet de frios, queijos e antepastos e ainda alguns pratos leves de massas e risotos. Para quem prefererir jantar o restaurante vai funcionar normalmente, com a marca registrada do chef Francisco Ansiliero, que vai disponibilizar um menu com preço especial para quem participar do 8o Wine Friday. 

Os participantes ainda vão poder adquirir vinhos do evento com descontos que podem chegar a 30% para levar para casa. 

 

Wine Friday 2019 - 8a Edição

Data: 29/11/2019 - Sexta-feira

Horário:  das 18hs à meia-noite

Local: Dom Francisco Asbac (SCES, Trecho 02, conjunto 31)

 

Ingressos

1o lote até 10/11 - R$ 99 - com direito à Avant Première no dia 11/11 - um evento exclusivo para clientes que adquirirem o ingresso da Wine Friday até essa data, que vai ser realizado no Dom Francisco da Asbac, às 20hs com a degustação de 50 rótulos selecionados. 

2o lote de 11/11 até 29/11 - R$ 140 

 

Pontos de Vendas para ingressos do Wine Friday

 

World Wine 410 Sul 

Dom Francisco Asbac

Dom Francisco 402 Sul 

Forneria Parole - Lago Norte

Empório Árabe - Águas Claras 

 

 

 

 

 

 

Primus Boutique de Carnes: nova Casa de parrilla em Águas Claras

Para mim um dos melhores atendimentos de Brasília, a Casa da Asa Sul, que conheço de perto. Os empresários Adriano Corrêa, Leandro Corrêa e Robert Garcia abrem agora o terceiro restaurante e boutique de carnes nobres Primus, em Águas Claras. Determinação dos sócios e das equipes na qualidade dos ingredientes e na busca do atendimento impecável.

Mais de 120 vinhos na carta, para todo o tipo de bolso, e pratos que vão de baby beef, ancho, cordeiro, passando também por carnes mais exóticas como jacaré, paca, coelho e por aí vai.

O profissionalismo do sommelier Cristiano Nogueira à frente dsa adegas dos restaurantes nas harmonizações e ainda com a colaboração do sommelier Edvaldo de Souza. Na de Águas Claras a carta apresenta rótulos nacionais e de pelo menos cinco importadoras: Mistral, TW, Vinhos SA, Videira Vinhos e Del Maipo. Brancos, rosés, tintos, espumantes, champagnes e fortificados. 

As Casas no comando - e simpatia - do chef Bené Reis, com a tradição e criatividade dos pratos dos outros dois estabelecimentos e uma novidade: o Camarão Internacional à Moda Primus, serve três pessoas e elaborado com um ingrediente especial do chef (R$ 99,90).

 

Primus Boutique de Carnes

Av. Castanheiras Rua 33/34 Norte
Ed. Beverly Hills Plaza
Mesmo complexo gastronômico da Casa de Biscoitos Mineiros
Águas Claras

 

Choux Cream: uma sobremesa francesa com toque japonês

Choux Cream, o nome da viciante sobremesa. Não tem como comparar, mas para você entender, algo como um bolinho, um sonho, fofinho com muito recheio. Na base creme de leite fresco, farinha de amêndoas, baunilha, muitos ingredientes interessantes. Elaborado nas duas Casas da chef Rosa Takematsu (Donburi, de Águas Claras e Rosa Takematsu, no Plano Piloto) - como digo sempre, uma chef que respeito pela dedicação, atenção, cuidado com ingredientes e pratos. A sobremesa foi criada pelos franceses, mas os japoneses é que acabaram tornando ela conhecida por abraçarem de vez a ideia. As menores, R$ 5 cada e maiores por R$ 10, cada uma. Vai por mim, você não vai dar conta de comer uma só. Com um chá verde na mão ou um café...

 
Capodanno: almoço elaborado no forno à lenha

A tradicional pizzaria Capodanno, no Terraço Shopping, tem agora ao meio-dia  opções bem interessantes de almoços. O trio de entrada, prato principal e ainda sobremesa sai por R$ 49.90 e com inúmeras combinações. É algo recente, a pizzaria abria apenas à noite para as já consagradas pizzas. Sócios, investidores, fornecedores e clientes acreditavam que era hora de abrir no horário do almoço. 

Para o desafio foram chamados duas feras: o chef de cozinha Edilson Oliveira e também o gerente-geral Tiago Araújo. Ambos com passagem por importantes restaurantes da capital federal e também no exterior. 

O cardápio de almoço foi totalmente elaborado pelo chef, tendo opções como entrada de Pão de Calabresa - por sinal espetacular; Corneccione - aquela massa de pizza fininha com sal grosso e alecrim; Tostadas de Queijo, Presunto de Parma e Rúcula Baby; Carpaccio Tradicional de Carne - sempre uma das entradas preferidas minhas e também Salada ao Molho de Mostarda - folhas baby, rúcula, tomate-cereja e molho mostarda. 

De principal você pode escolher entre massas e carnes. Aqui entram o Flat Iron steak - um corte da paleta bovina muito macio e saboroso - com Molho Chimichurri; Bife de Chorizo; Bife de Ancho; Peito de Frango; Filé à Parmegiana; Frango à Parmegiana e Pipilote de Tilápia - onde o peixe assa no próprio vapor embrulhado em papel alumínio. Lembrando que os cortes são feitos no forno à lenha, é outro sabor, é gostinho de comida de verdade. De acompanhamento você pode escolher dois: Farofa de Ovos; Batata Assada com Ervas; Legumes Assados; Purê de Batata; Salada Caesar; Arroz Integral; Arroz branco ou o sensacional Arroz com Brócolis deles. 

No caso das massas entram Fettuccine clássico; Ravióli com Mussarela de Búfala; Gnochi de Batata e Mezzaluna de Linguiça Toscana. Os molhos que podem acompanhar são Quatro Queijos, Pomodoro, Bolonhesa e Alfredo. Quer dizer, tem opções pra todo tipo de gosto. 

Uma das partes que mais gosto, sobremesa. Brownie de chocolate; Sorvete de creme; Panacotta de Frutas Vermelhas e Abacaxi com Raspas de Limão. No dia que estive por lá, Edilson estava bolando um Sorvete de Catupiry com Calda de Redução de Vinho do Porto. Se tiver essa sobremesa por lá no dia, experimente. É de ficar viciado. 

Alguns coquetéis legais no cardápio, também, que vão de Marguerita (R$ 24) - cointreau, tequila e suco de limão; Clericot (R$) - serve até 3 pessoas - um mix de frutas vermelhas, congnac, espumante e cointreau; e passam por Caipiroska (R$ 17) - nos sabores de limão, abacaxi, kiwi e morango, com vodka nacional. Já com a importada, sai R$ 19,90  cada uma. 

A carta de vinhos esta sendo totalmente reformulada com os pratos que chegaram, entrando champagnes, espumantes nacionais de qualidade e vinhos de várias regiões do mundo para harmonizarem com cada prato. 

 

Esses pratos são apenas no almoço, já que o ritmo alucinante das pizzas tradicionais que saem na noite - em torno de 40 - deixam os dois fornos à lenha à disposição apenas delas, sensacionais, é claro. Mas acredito que se tiver como, em um dia mais tranquilo, você consiga degustar à noite uma dessas maravilhas de pratos também. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Vietnã: um país se abrindo ao conhecimento mundial

O Vietnã completa 30 anos de parceria com o Brasil. O ano de 2019 marca um importante passo para o país asiático, que representa a abertura e a busca de parceiros nos mais importantes setores da economia e, é claro, o turismo e a gastronomia estão inseridos aí. Para se ter uma ideia, em 18 anos, o comércio entre os dois países atingiu US$ 4,2 bilhões, estando incluídos aqui nos negócios, ítens como o café - eles importam o tipo arábica de nós e exportam o grão tipo robusto para o Brasil, milho, feijão, frutas tropicais e por aí vai. 

O embaixador do Vietnã, Do Ba Khoa, afirma que "o Vietnã se prepara para a ampliação da abertura de cooperação na área do turismo e da gastronomia no país. A tecnologia, a sabedoria de outros povos em determinadas áreas da gastronomia, as grandes redes de hotéis internacionais têm muito a acrescentar ao nosso Vietnã e estamos de braços abertos nessa nova fase de mostrar nossa cultura e o que temos de melhor para agregar conhecimento". Segundo ele, nomes de destaque e técnicos que entendem com profundidade cada área específica já começam a ser contatados para se montar uma "hospitaleira e competente rede no país". Isso engloba hotéis, resorts, restaurantes, sommeliers e produtores e mão de obra que possam agregar crescimento econômico ao país e ao povo. 

Em um almoço na Embaixada do Vietnã, em Brasília, Do Ba Khoa, apresentou números e destacou a culinária vietnamita. A tradicional sopa Pho Noodle Soup foi uma das estrelas. Um caldo quente derramado sobre uma típica tigela vietnamita com o tradicional macarrão de arroz, brotos, frango -mas pode ser carne bovina também, como já tive a oportunidade de experimentar, brotos, coentro, manjericão e pimenta. Além das bonitas cores, que por si só já despertam a vontade de prová-la, o equilíbrio entre os ingredientes com frescor e picância final fazem dela uma refeição inesquecível. Culinária local é algo muito sério, é a hospitalidade de um povo em sua mesa, e a Pho Noodle Soup é um símbolo para o povo vietnamita. Na próxima semana estarei ensinando essa iguaria do Vietnã no Giro Gastronômico, com a receita completa aqui no meu site e no Facebook da BandNews FM Brasília. 

O tradicional Rolinho Vietnamita, que não tem nada a ver com o Rolinho Primavera que é frito, também foi servido. Gengibre ralado, vinagre de arroz, óleo de gergelim torrado, shoyo, amido de milho e água fazem parte dos ingredientes do molho ou mais leve, pode ser servido apenas com molho de peixe aromatizado. Manga, cenoura, pepino, alface, cebola roxa, abacate e até cogumelo shitaake podem ser usados como recheio. O resultado é um rolinho enrolado com folhas de arroz cozidas levemente. 

A abundância de frutos do mar no país também foi representada por uma espécie de tempurá, com camarões envoltos na massa e fritos juntamente com batatas tipo palha, fininhas e crocantes, simplesmente viciante. 

O café é algo muito interessante. Não é o nosso cafezinho preto brasileiro que estamos acostumados. Um café bastante amargo por causa da combinação de alta porcentagem de grão robusta na maioria dos casos, a torra escura - alongada - e a temperatura fria de fermentação. esse amargor é equilibrado com leite e açúcar e, el algumas situações, atpé com o uso de leite condensado no lugar do leite fresco integral, por causa da sua falicidade de armazenamento em um país de clima tropical quente. O Vietnã é atualmente um dos maiores exportadores de café do tipo Robusta do mundo, só em 2017 a produção do país foi de 26,7 milhões de sacas. O Vietnã também tem o arroz como um dos principais produtos agrícolas exportados. 

A Embaixada aproveitou a data comemorativa da parceria de 30 anos entre Brasil e Vietnã e condecorou dois brasileiros com a medalha "Pela Paz e Amizade", como reconhecimento por contribuições dadas por estrangeiros ao país. Receberam a medalha do embaixador Do Ba Khoa, a jornalista Fabiana Ceyhan e o ex-secretário de Indústria e Comércio de Goiás, Willian Leyaer. 

Outros países asiáticos há alguns anos também fizeram essa abertura e busca do que se pode levar de melhor para ajudar no crescimento econômico na área de gastronomia, vinhos e hotelaria. Convidados nomes como o enólogo Robert Parker; chefs de cozinha franceses e espanhóis - berços hoje da gastronomia de excelência; agricultores com mão de obra especializada em determinadas frutas e maîtres, garçons e turismólogos experientes. 

Aguarde, você ouvirá ainda muito o que falar do Vietnã. E bem. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Página 1 de 5